Olá leitores, creio que a resposta para essa pergunta geraria um filme, minha ligação com o Linux existe há alguns anos, sempre gostei, mas a utilização de forma mais continua se deu desde meados de 2016, quando eu terminava minha pós-graduação em desenvolvimento web.

Já instalei várias versões do Linux em meus equipamentos, o mais duradouro foi o Ubuntu com interface gráfica KDE, ou seja, Kubuntu, creio que devo ter usado por mais ou menos um ano e meio. A interface KDE é incrível, consumia pouca memória, muito estilizável, nunca me deu dores de cabeça, era perfeito.

Quando resolvi abandonar o Windows 8.1 que estava instalado em meu notebook Dell optei por seguir a vida no Debian, instalei tudo que era necessário para poder funcionar o que eu precisava, funcionou bem, mas não sei por qual motivo, meu hardware não aceitou bem, provavelmente alguma incompatibilidade de driver, sentia que aquecia além do normal o equipamento, procurei saber diretamente com a Dell e fui orientado a utilizar o Ubuntu, na época o 16.04.

Com o Ubuntu já não aquecia como utilizando o Debian, mas havia problemas com a visualização de vídeos, a sensação que havia uma onda no meio do vídeo, nada muito assustador, mas me incomodava, fiquei assim por um bom tempo até migrar para Kubuntu.

Neste começo de ano quis mudar, conhecer novas variantes do Linux, conversando com um colega de trabalho surgiu no papo o Manjaro, instalei em uma VM e comecei os testes, fiquei encantado com as funcionalidades e segurança que me passou, usei por alguns dias no virtual box, fiz o que eu precisava, configurei tudo que era preciso, tudo funcionou perfeitamente.

O que mais me chamou a atenção foi a loja de aplicativos, não é necessário baixar pacotes nos sites dos desenvolvedores, ou usar o terminal para instalar, quase tudo que precisei achei na loja, optei por instalar o LAMP por terminal, neste caso, nem procurei na loja para ver se tinha.

Um belo dia da semana passada resolvi passar o computador que uso no trabalho para Manjaro, aproveitando que já iria instalar um SSD na máquina. Como dito anteriormente, configurei tudo o que precisava, lembrando o que havia feito na máquina virtual.

Para finalizar, fui testar o virtual box, minha intenção era criar uma maquina virtual com Ubuntu e dela fazer um servidor docker, para fins de estudo. Senti uma certa lentidão na instalação do Ubuntu nada comum, foram horas de instalação e no fim, deu erro. As máquinas já criadas e importadas funcionavam normalmente, porem não conseguia instalar uma nova, fiquei bastante chateado com isso, tentei várias vezes e não obtive sucesso.

O meu cenário é um computador razoavelmente bom, processador i5, 8GB de memória, SSD de 256 GB e 1 TB de disco rígido, não sei se tem alguma coisa relacionada, mas o virtual box esta instalado no SSD, já as máquinas no disco rígido. Ainda farei um teste para ver se pode ser isso.

Não satisfeito com o ocorrido, procurei saber de outras versões, pesquisando pela internet observei várias entusiastas e estudiosos utilizando e elogiando muito o Pop!_OS, advinha? Formatei a máquina, instalei o Pop!_OS.

Para minha surpresa o virtual box falhou também, veio daí maior clareza que o problema pode estar relacionado com os discos. Resolvi então utilizar na virtualização o kvm, com ele, a instalação do Ubuntu ocorreu normalmente.

Creio que ficarei algum tempo com o Pop!-OS, não posso ficar o tempo todo formatando equipamento, prejudica muito a produtividade, mesmo estando aprendendo sobre um novo Sistema Operacional. Tentarei mantê-los informados do meu progresso com este sistema. Qualquer novidade informo vocês.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *